"Good cats are dead cats"

.

.

Seja bem vindo ao meu mundo onde a fantasia é a única realidade!

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Não sei o que significa

Não sei porque sonhei, só sei que sonhei com algumas pessoas que foram e outras que ainda são muito importantes para mim, acordei nostálgica e triste ao mesmo tempo. Com aquela sensação de aperto no coração, aquela que faz você ter vontade de chorar, mas não sai nada de você. O mais curioso é que na hora que acordei havia uma mensagem no meu celular de uma dessas pessoas com a qual sonhei, nela tinha uma estrofe de uma música (que antigamente eu cantava com a outra pessoa do sonho) e a frase "acordei com essa música pensando muito em você". Bom, que eu sempre tive uma ligação muito forte com a Sarah é fato, e que eu achei isso muito lindo também, pois bem, vamos ao sonho.

Eu estava sentada na guia da minha calçada vendo o céu escuro quando ele chegou, sentou do meu lado, e nossa conversa começou com ele quebrando o silêncio, sua voz era grave calma (eu havia me esquecido de como ela exercia uma influência de "ordem", como ela gerava uma submissão inata em mim) ...
- Desde que tudo aconteceu eu queria muito falar com você
- Eu sinto que tem algo inacabado, queria dizer adeus pessoalmente
- Eu já não sei o que sinto... foram muitos anos...
- Por que veio aqui?
- Não sei
E o silêncio voltou... foi então que eu comecei a chorar de soluçar, ele colocou as mãos no meu ombro e me deu aquele abraço e falou
- Eu não entendo mais nada do que aconteceu ou está acontecendo
- Me perdoe, mas eu tenho que ir (tirei os braços dele)
- Por que?
- Talvez você só esteja aqui porque preciso dizer algo
- O que?
- Obrigada por tudo, me perdoe por tudo, segue sua vida, seja feliz, vamos trilhar outros caminhos... talvez nosso maior erro tenha sido ter tentado lutar por algo que não era pra ser (isso prova que nos amávamos, mas se não éramos um para o outro nem todo o amor do universo seria forte para durar muito). Talvez por isso ambos tenham saído tão machucados... Sim, eu perdoei você. E não, eu não vou saber como reagir quando nos encontrarmos na rua. Só sei que quero te ver bem, quero paz.
- Eu preciso saber... Ele tem feio bem pra você?
- ...

Foi então que eu não estava mais com ele eu estava num campo enorme deitada no colo da Sarah, eu estava muito magra, muito mesmo, e careca. Com dores pelo corpo e muitas feridas. Ela fazia carinho em mim e cantava pra mim. O amor dela palpável, e de algum modo eu estava em paz.



Sarah, meu diamante negro, obrigada por até em sonhos estar sempre comigo, amo você

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Odeio

Odeio esses pesadelos que parecem tão reais ao ponto de fazer a gente acordar chorando...

Eu estava na rodoviária quando recebi uma ligação dele pedindo pra eu esperar que tinha algo muito importante pra me contar.
Quando ele chegou me puxou pra um beco e falou: eu dormi com ela, me perdoa.
Ele estava em prantos e só então notei uma arma nas mãos tremulas.
Eu não sabia o que falar nem o que fazer.
- Amor fica calmo tudo vai se resol...
Ele atirou em mim
- Me perdoa Luísa
Ele atirou em si mesmo

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

L e L

Era tudo em preto e branco, até mesmo as árvores e a luz do Sol que as cortava.
Tinha um gatinho preto que estava dormindo nos nossos pés
Nós estavamos sentados na beira do lago. Olhavamos a paisagem dos olhos um do outro, uma floresta densa e profundamente deliciosa pra se perder.
Ele sorriu
Ela o amou
Ela sorriu
Ele a puxou
E foi um beijo doce e demorado
E quando os lábios já não mais se tocavam eram as mãos que namoravam, um dedo trocando carícias com o outro, enquanto que os olhos e sorrisos faziam amor (ainda que fisicamente distantes)
E sem falar nada um ao outro disseram: eu amo você

Ps. Acordei em paz, e muito silenciosa, foi um sonho tão lindo... não consigo parar de pensar rsrs

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Sombra e luz

Dessa vez a sombra era outra, eu acredito que já a conhecia, por que a presença não me era estranha, mas nunca a tinha visto. Ainda não sei ao certo se a vi ou se foi tudo um pesadelo, daqueles que você não sabe se os seus olhos estavam abertos ou fechados. E de todo coração desejo que a segunda opção seja a verdadeira.
A sombra era escura, não chegava a ser preta, era mais uma fumaça cinza chumbo, e tinha forma humana. E a sua energia me fazia pensar que era um homem. No pescoço carregava uma estrela, eu não sei se contei certo porque vi nove pontas, e eu nunca vi um símbolo assim.
Ela estava parada na janela do meu quarto, olhando para o nada, como um fantoche.
Foi quando ela olhou para mim, eu tentei fechar os olhos ou sair dali, mas ela me sugou a atenção... e os olhos, os olhos não tinham pupilas, eram duas esferas azuis intensas, sinceramente não acredito que esse azul exista.
O que vi?
O nada, e ao mesmo tempo tudo, vi a mim mesma e algo sobre um futuro atormentador, vi uma alma agonizando e ao mesmo tempo orgulhosa pela escolha que fizera. Sim, vi muito mais, mas prefiro te guardar disso.
E os olhos quase devoraram os meus, e eu não conseguia me libertar...
Foi então que a sombra, uma outra, aquela que eu já conhecia tapou meus olhos, e eu adormeci...

terça-feira, 16 de abril de 2013

É bom sonhar coisa boa!

É uma casa grande de dois cômodos, um banheiro e um balcão enorme. A sala é branca e o banheiro fica à esquerda. Quando você entra logo vê uma mesa de madeira velha com vários potes de tinta, e até alguns respingos de tinta verde claro sobre a mesa e o chão.
A direita e um pouco atrás da mesa (porque a sala é meio triangular) tem uma janela enorme, com moldura branca. Na vista, são copas de árvores, algumas verdes, outras já se vestem do outono.
Sentado na beira da janela esta Angelo e de pé ao lado dele, conversando e dando risada, Lucas. Eu entro e acho legal ver eles, afinal faz no mínimo 5 anos que não nos vemos! Pego uma cadeira ( que surgiu do nada na minha mão) e sento pra conversar.
A porta rangindo se abre e entra ela, a linda da End! Com um envelope na mão falando que tem uma ótima notícia (acho que ela nem percebeu que pra gente ter ela aqui já é uma ótima notícia).

Ai eu acordei

Com saudade de vocês três!

sábado, 30 de março de 2013

Pela terceira vez

E de todo medo, coração e razão, desejo não sonhar mais isso...
Os pesadelos têm sido tão intensos que meu coração passa o dia todo disparado, ando com falta de ar, só desejo que seja apenas pesadelo, e não um presságio ruim.
Tenho sonhado repetidas vezes que estou em um campo aberto durante o dia, mas com uma tempestade forte, trovão e tudo mais.
O que muda são os eventos, em um eu estava na aula, no lugar havia minha sala mas sem o telhado. No segundo era o casamento da minha prima, a igreja sem o telhado.
E hoje era um holocausto abandonado, com o odor de enxofre e sangue podre (ainda sinto fedor, como se fosse real) .
O que sempre se repete é que eu vejo um saco preto com uma cabeça humana decapitada (só que ela é enorme) e a perna está posta ao lado da cabeça e uns dois metros de distância do saco preto a outra perna.
No começo do sonho eu tento conversar com a cabeça, e ela demonstra sinais de vida, eu tento ligar pra policia pedir ajuda, e sempre tem bastante gente do meu lado, mas ninguem ajuda, e a pessoa (se é que cabeça e perna já forma uma pessoa) acaba morrendo

quinta-feira, 21 de março de 2013

MEDO DA DOR

Acordei com o rosto latejando, e sentia que a dor se alastrava pelo meu corpo, havia um liquido, talvez o sangue  seco, heirando podre... era frio, calor, arrepio, tudo ao mesmo tempo.
Abri os olhos, e eu estava sendo suspensa no ar com três hastes, duas nos pés (uma pra cada) e uma na cabeça.
Com cuidado para não me desequilibrar levantei meus braços, que pareciam pesar toneladas, e passei no rosto.
Haviam agulhas e linhas por todo ele, enão consegui sentir meu nariz, nem um pedaço de pele, porque tudo era só agulhas e linhas, agulhas finas, linhas grossas, "devem ter me alinhavado, pensei com um pouco de graça", mas meus lábios não abriram, passei a mão e eles estavam grampeados.
Virei meus olhos para a esquerda e vi meu corpo, inchado, vinho, verde aroxeado, e as costas, as costas estavam cobertas de agulhas (grossas, finas, grandes, pequenas, coloridas, etc).
Então ouvi um barulho de tranca, as hastes se abriram e eu cai, cai uma meia hora, cai numa especiel de colchão, não sei ao certo.
E as agulhas penetraram em mim
Não morri