"Good cats are dead cats"

.

.

Seja bem vindo ao meu mundo onde a fantasia é a única realidade!

sábado, 30 de março de 2013

Pela terceira vez

E de todo medo, coração e razão, desejo não sonhar mais isso...
Os pesadelos têm sido tão intensos que meu coração passa o dia todo disparado, ando com falta de ar, só desejo que seja apenas pesadelo, e não um presságio ruim.
Tenho sonhado repetidas vezes que estou em um campo aberto durante o dia, mas com uma tempestade forte, trovão e tudo mais.
O que muda são os eventos, em um eu estava na aula, no lugar havia minha sala mas sem o telhado. No segundo era o casamento da minha prima, a igreja sem o telhado.
E hoje era um holocausto abandonado, com o odor de enxofre e sangue podre (ainda sinto fedor, como se fosse real) .
O que sempre se repete é que eu vejo um saco preto com uma cabeça humana decapitada (só que ela é enorme) e a perna está posta ao lado da cabeça e uns dois metros de distância do saco preto a outra perna.
No começo do sonho eu tento conversar com a cabeça, e ela demonstra sinais de vida, eu tento ligar pra policia pedir ajuda, e sempre tem bastante gente do meu lado, mas ninguem ajuda, e a pessoa (se é que cabeça e perna já forma uma pessoa) acaba morrendo

quinta-feira, 21 de março de 2013

MEDO DA DOR

Acordei com o rosto latejando, e sentia que a dor se alastrava pelo meu corpo, havia um liquido, talvez o sangue  seco, heirando podre... era frio, calor, arrepio, tudo ao mesmo tempo.
Abri os olhos, e eu estava sendo suspensa no ar com três hastes, duas nos pés (uma pra cada) e uma na cabeça.
Com cuidado para não me desequilibrar levantei meus braços, que pareciam pesar toneladas, e passei no rosto.
Haviam agulhas e linhas por todo ele, enão consegui sentir meu nariz, nem um pedaço de pele, porque tudo era só agulhas e linhas, agulhas finas, linhas grossas, "devem ter me alinhavado, pensei com um pouco de graça", mas meus lábios não abriram, passei a mão e eles estavam grampeados.
Virei meus olhos para a esquerda e vi meu corpo, inchado, vinho, verde aroxeado, e as costas, as costas estavam cobertas de agulhas (grossas, finas, grandes, pequenas, coloridas, etc).
Então ouvi um barulho de tranca, as hastes se abriram e eu cai, cai uma meia hora, cai numa especiel de colchão, não sei ao certo.
E as agulhas penetraram em mim
Não morri